Como desconstruir padrões tradicionais na educação dos filhos

6 PASSOS PARA DESCONSTRUIR OS PADRÕES TRADICIONAIS NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS

30/10/2018| Marcela

Hoje estou aqui, sentada no chão, brincando com minhas filhas e me peguei refletindo o quanto é difícil nos libertar dos padrões estabelecidos pela sociedade, não é?! Você também se sente assim?

Pois é, compartilho desse sentimento! Durante muito tempo, principalmente depois da maternidade, me vi atendendo a essas expectativas sociais da família, dos amigos, dos colegas de trabalho, etc.

Mas te falo uma coisa: mudar é POSSÍVEL e, mais do que isso, vejo como uma necessidade! Mudar em todos os sentidos, em todos os papéis que exercermos e, EM ESPECIAL, na educação dos filhos!

Tenho duas filhas, a Lavínia de 6 anos e a Milla de 3 anos e percebo o quanto fui e continuo sendo uma mãe diferente para cada uma delas. Mas como assim? Várias pessoas já me fizeram essa pergunta, no sentido de “exigir” que eu fosse a mesma mãe para as duas, que oferecesse as mesmas coisas materiais, as mesmas condições, etc.

E confesso que já “caí nessa armadilha”, às vezes, essas influências e exigências são sutis, quase imperceptíveis, mas elas estão ali, aqui, em todos os lugares! E o que fazer diante disso? A maternidade me ensinou que cada uma das minhas filhas é única e tem necessidades diferentes, assim, a forma mais justa e amorosa que tenho de lidar com elas é sendo também uma mãe diferente para cada uma!

A maternidade me instigou nessa busca de autoconhecimento para me libertar das expectativas sociais e realmente me tornar autora da minha própria vida e das minhas escolhas!

COMO REPENSAR A EDUCAÇÃO DOS FILHOS

Se você se identifica com o que eu estou dizendo, tenho uma pergunta para você: quer construir uma nova relação com seu filho, baseada na simplicidade, gratidão e conexão? Então, vem comigo que gostaria de te dar 6 dicas que considero extremamente importantes para desconstruir essa forma tradicional tão enraizada em nós de educar os nossos filhos:

PRIMEIRO PASSO: OLHAR PARA DENTRO

Para criarmos uma relação de maior conexão, amor e respeito com os nossos filhos é preciso OLHAR PARA DENTRO! Todo processo de educação dos nossos filhos passa pelo nosso processo de autoeducação. Não é possível uma nova forma de nos relacionar sem nos envolvermos neste processo. “Quem é você? Qual história você carrega? Quais são as marcas que, mesmo sem perceber, determinam seus comportamentos atuais?” Muitas vezes, nossas feridas emocionais nos impedem de sermos pais mais presentes e conectados com as necessidades dos nossos filhos.

SEGUNDO PASSO: AUTO-OBSERVAÇÃO

A auto-observação nos dá a possibilidade de aumentar nosso nível de consciência em relação a nós mesmos e, consequentemente, à forma que lidamos com nossos filhos diante de situações desafiadoras. Assim, podemos ampliar o nosso olhar e estabelecer uma conexão mais autêntica com eles, sendo menos suscetíveis aos padrões educacionais impostos.

TERCEIRO PASSO: RESPONSABILIZAR-SE

Você já parou para pensar o quanto usamos “bengalas” no dia a dia para nos justificar e responsabilizar o outro por nossas decisões, por tudo que não dá certo: “meu filho é assim, meu marido faz tal coisa, meu chefe, meu amigo, etc”.

Todos os dias temos uma escolha a fazer: achar um culpado OU nos apropriar da nossa vida e nos responsabilizar pelas coisas que acontecem conosco! Quando conseguimos mudar o nosso foco e voltá-lo para nós mesmos, podemos promover um mundo de mudanças internas e, posteriormente, ao nosso redor!

QUARTO PASSO: VIVER O PRESENTE

Muitas vezes vivemos a vida, deixando-a passar por nós, os dias da semana passam, o fim de semana passa, a infância das nossas crianças passa e, quando a gente percebe, a nossa vida passou… e o que fizemos?

Fomos espectadores e não assumimos o protagonismo das nossas escolhas. O único momento que existe é o AGORA! Exatamente esse momento que você está lendo tudo isso! Qual o seu sonho familiar? Dê um lugar a ele na sua rotina!

E saiba que é através da vivência desses momentos simples que estabelecemos conexões profundas com quem amamos. Conexão é sentir o cheiro, é dar um abraço, é tocar, é dar aquela risada gostosa, é através disso que criamos bases e valores para toda uma vida!

QUINTO PASSO: PERMITIR-SE

Se permita errar, cansar, não dar conta. Se permita sentir, independente de qual sentimento for! Quando nos permitimos entrar em contato com nossos sentimentos, abrimos espaço para a percepção de nós mesmos e do que estamos refletindo para os nossos filhos através dos nossos comportamentos. Perceba o que está repercutindo aí dentro de você e valide esse sentimento!

SEXTO PASSO: REFLETIR AMOR

Quando somos gentis e amorosos com as nossas dores, sentimentos e emoções criamos bases sólidas para construção de um relacionamento verdadeiro e saudável com os nossos filhos! O mais valioso e profundo que podemos oferecer aos nossos filhos é a nossa própria cura!

Ufa! Muitos desafios, não é mesmo?! Vivencio isso diariamente! Existe uma distância entre o filho ideal e filho real, assim como existe uma grande diferença entre os pais que idealizamos ser e os pais que atuam no “AQUI E AGORA” na vida da criança!

Essa relação PAI E FILHO na vida real é realmente muito desafiadora, mas também é muito transformadora e nos dá uma grande oportunidade de crescimento, de olhar para dentro, de rever nossos processos, crenças e percepções sobre o mundo.

Se você se sentiu tocado por tudo que leu e deseja criar uma conexão mais profunda com seu filho, desconstruindo padrões tradicionais de educação, visite minha página no Instagram @psicologa_marcela_linhares e conheça mais sobre o PROJETO MATERNIDADE E PATERNIDADE PRESENTE! Não deixe de acompanhar os nossos conteúdos semanais na coluna CONEXÃO PAIS E FILHOS!

Casada, mãe da Lavínia e da Milla, 3ª filha de uma família de 3 irmãos. Natural de Ponte Nova e residente há um tempo em Divinópolis. Graduada em Psicologia pela UFMG. Psicóloga atuante na área de psicologia infantil e familiar, apoiando as mães e pais no processo de autoconhecimento e vivência de uma maternidade mais leve, prazerosa e conectada com as crianças. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas. Atuação na área de Gestão de Pessoas há 14 anos.

Comentários