papel da alimentação na saúde bucal de uma criança

QUAL O PAPEL DA ALIMENTAÇÃO NA SAÚDE BUCAL DE UMA CRIANÇA

20/12/2018| Karla

Você já parou para pensar o papel da alimentação na saúde bucal de uma criança? Com certeza já escutou que a saúde começa pela boca né?! Pois é, isso não é só um clichê!

Temos que levar a alimentação muito a sério, não só em prol da saúde e higiene oral infantil, mas como um todo também, do momento que ela é concebida até sua maturidade.

A questão aqui, é que, até pelo menos a pré-adolescência a criança depende dos pais para quase tudo, quando bebês então, eles se alimentam do que você decidir que eles se alimentem.

Afinal, o papel da alimentação é basicamente de equilibrar e dar energia necessária ao corpo de acordo as fases de crescimento e desenvolvimento infantil que impactam diretamente na vida de um adulto com saúde.

Saber os princípios de uma alimentação saudável com o pediatra do seu filho já é um começo, mas não hesite em procurar um profissional nutricionista ao perceber algum distúrbio alimentar.

Cuidados na alimentação para uma boa saúde bucal infantil

Alimentos ácidos e a erosão dentária

Alguns alimentos podem aumentar a acidez da saliva, meio tão importante para a proliferação da bactéria que afeta a preservação da dentição.

Uma criança que não tem uma rotina alimentar também tem mais chance de ter a cárie quando comparada a criança que tem uma rotina alimentar, isso porque nós precisamos daquele intervalo de mais ou menos duas horas sem se alimentar para poder diminuir a acidez da saliva.

Uma saliva ácida causa mais cárie e pode causar também a erosão dentária. Você sabe o que é erosão dentária? É um desgaste que acontece no esmalte do dente (camada que recobre externamente os dentes) e ela pode ser causada pelo consumo exagerado ou inadequado de alguns alimentos, tais como:

  • suco de uva,
  • laranja,
  • limão,
  • abacaxi,
  • tangerina,
  • caju
  • refrigerante.

Então o suco faz mal?? NÃO!! O que pode fazer mal aos dentes é o consumo exagerado desses sucos, por causa da acidez presente nessas frutas. Um líquido que faz muito bem e que alguns pais acabam esquecendo é a água! Então a alimentação não é só importante por causa da cárie, existem outros aspectos que muitos nem imaginam.

Vale ressaltar que a erosão dentária pode ser causada também por algum distúrbio gastro-esofágico, que é comum em crianças, em que o ácido retorna do estômago para a boca, e se a causa for essa, deve ser tratado com o acompanhamento do pediatra da criança.

Uma dica bacana para se evitar a erosão é oferecer à criança um canudinho na hora de ingerir os sucos ácidos e esperar pelo menos 30 minutos para escovar os dentes após a ingestão dos mesmos.

Doces em excesso e a cárie

O tanto que a sua dieta poderá causar cárie é determinado pela presença de carboidratos, que servem de substrato para os microrganismos da cavidade bucal. Toda vez que há açúcar presente para as bactérias, haverá formação de ácido.

Portanto, o que aumenta o risco da cárie não é a quantidade total de açúcar nos alimentos consumidos, mas sim o padrão de alimentação, ou seja, a frequência da ingestão desses produtos. Se o indivíduo passa tempos longos consumindo açúcar, terá mais chance de ter cárie.

Os alimentos cariogênicos, ou seja, que estimulam o desenvolvimento de cárie dentária, são os ricos em carboidratos fermentáveis, também chamados de açúcares livres, como o pão branco, bolos, bolachas e doces, por serem ricos em carboidratos fermentáveis. Além disso, esses alimentos não são bons para a nutrição das crianças e competem com alimentos mais nutritivos.

Fatores como o tipo de glicídios presentes, a consistência pegajosa ou aderente do alimento (como balas e doces cristalizados) e o tempo que o alimento permanece na boca exercem grande influência na sua capacidade de provocar cáries.

A orientação de dieta desempenha um papel muito importante no controle da cárie, principalmente quando se considera a tendência atual da odontologia na promoção de saúde, direcionando sua atenção para os primeiros anos de vida da criança, fase em que são estabelecidos os padrões alimentares. Já foi comprovado que a criança nasce com preferência para o sabor doce, no entanto, a adição de açúcar é desnecessária e pode ser evitada nos dois primeiros anos de vida.

Considerando que as crianças em idade pré-escolar estão começando a aprender conceitos e princípios que farão parte de sua formação, a educação alimentar e em saúde bucal, como qualquer outra atividade educativa, devem ser introduzidas o mais precocemente possível pelos pais e professores.

Atenção papai e mamãe, não deixe de dar sucos naturais para seu filho, coma uma mexerica com ele, aproveite todos esses momentos, é só alterar as frutas, escolhendo uma ácida hoje e amanhã outra que não seja, afinal um suco geladinho sempre cai bem, principalmente nesse calor.

E com relação ao doce, claro que a criança pode comer, afinal doce lembra a infância né. Mas, vamos fazer com que esse consumo seja feito de uma maneira consciente e com baixa frequência, nos finais de semana. Quando fazemos os ‘’combinados’’ com nossos filhos, tudo fica mais fácil e mais leve.

Gostaram deste conteúdo? Não deixe de acompanhar as novidades no Blog do CCAA Divinópolis, toda semana um conteúdo diferente. E para saberem mais sobre o meu trabalho visitem minha página no Instagram @karlaluisa.odontopediatria

Graduada em Odontologia pela Universidade de Itaúna.
Especialista em odontopediatria.
Aperfeiçoamento em ortodontia preventiva.
Aperfeiçoamento em odontologia neonatal.
Exercendo uma odontologia humanizada.

Artigos relacionados

International Food CCAA 2019
12/06/2019| CCAA Divinópolis

Comentários