SEU FILHO CAIU COM OS DENTES NO CHÃO? VEJA COMO EVITAR UM TRAUMA DENTAL GRAVE

SEU FILHO CAIU COM OS DENTES NO CHÃO? VEJA COMO EVITAR UM TRAUMA DENTAL GRAVE

28/01/2019| Karla

Seu filho caiu com os dentes no chão?! E agora, o que fazer? Desespero total em qualquer pai e mãe é quando se vê muito sangue, não é mesmo?! Pois é, se tratando de trauma dental é muito fácil de ver isso. A boca é muito vascularizada e qualquer pequeno corte pode causar uma sujeira danada devido ao sangramento.

À medida que as crianças começam a interagir com o meio externo, aprendendo a engatinhar e andar, o trauma pode se tornar mais frequente, pois as características complementares dessa faixa etária incluem curiosidade e a inquietação, o que leva a criança a explorar o ambiente, não possuindo maturação motora suficiente para evitar quedas. Mas, as crianças maiores de até 6 anos que já possuem coordenação motora também tem grande chances de sofrer o trauma dental pelo fato de as maiores ocorrências serem da idade de 3 a 6 anos.

As consequências decorrentes do trauma na maioria das vezes são tardia. O que se vê no momento é se o dente se deslocou do alvéolo, se teve fratura coronária (quebrou a coroa do dente), se houve sangramento ou se o dente saiu todo do alvéolo (pulou para fora), as demais consequências (que não são poucas) são tardias, por isso é muito importante o acompanhamento desse dente envolvido por mais um ano com o odontopediatra. O profissional irá acompanhar com exames clínicos e radiográficos.

Mas como é possível prevenir o traumatismo dental?

Evite situações de risco como o uso de andadores para bebês e seja mais cauteloso com a criança que está aprendendo a andar. Quando for nadar no clube ou sítio de amigos e parentes ensine a usar a escada para entrar e sair da piscina.

Não deixe as crianças correrem descalças em chão molhado nem andar e/ou correr com objetos na boca (mamadeira, copo, caneta, brinquedos). Se forem praticar esportes de risco, como um judô, por exemplo, compre protetor bucal e lembre-se sempre de usar o cinto de segurança quando estiver no carro, usar capacete no caso de moto.

Caso aconteça com seu filho ou com uma criança perto de você vou dar algumas informações importantes:

  1. Manter-se calmo para tranquilizar a criança;
  2. Lavar a região machucada;
  3. Em caso de sangramento, estancar com pano ou gaze;
  4. Se possível, colocar gelo no local;
  5. Levar ao dentista.

Quais as consequências de um trauma em dente de leite ou em dente permanente?

Um trauma dental pode ocasionar muitas sequelas, tais como: mobilidade dentária (podendo alterar a posição do dente no osso), dor com necessidade ou não de tratamento de canal, alteração na cor do dente afetado, sensibilidade do dente traumatizado durante a mastigação e, no caso de dente-de-leite, pode ocorrer consequências no desenvolvimento ou formação do dente permanente.

As lesões mais graves decorrentes do trauma dental

Avulsão: Se o dente tiver saído do alvéolo, ou seja, tiver saído completamente da boca e for um dente de “leite’’, não o recoloque NUNCA no seu lugar de origem, isso pode prejudicar o dente sucessor permanente incluso.

Intrusão (quando o dente “entra dentro” da gengiva): Nesse caso, seria aconselhável levar a criança ao dentista para verificar se o dente permanente foi comprometido ou não, pois ele está se formando dentro do osso.

Os traumatismos mais frequentes nos dentes permanentes e os primeiros socorros a serem realizados

Fratura da coroa: O mais indicado é recolher o(s) pedaço(s) do dente fraturado. Se possível, coloque-o(s) em um recipiente com leite, água filtrada, soro ou saliva e procure um dentista. Após avaliação, estes pedaços poderão ser colados.

Avulsão: Quando o dente permanente sai por inteiro de seu lugar de origem da boca. O dente permanente deve ser recolocado no osso o mais rápido possível e para isto siga os seguintes passos:

  1. Pegue o dente pela coroa, nunca pela raiz;
  2. Lave o dente (apenas passe água, não esfregue o dente) e coloque-o, se possível, no local de onde saiu e leve a criança/adulto imediatamente ao dentista;
  3. Caso não consiga recolocá-lo logo após o acidente, coloque-o num recipiente com leite, soro, saliva ou água filtrada e leve a criança/adulto imediatamente ao dentista.

O traumatismo dental poderá afetar a autoestima, a qualidade de vida e, dependendo da gravidade, acompanhar o indivíduo pelo resto da vida.

Por isso, é importante ter conhecimento e realizar os primeiros socorros no momento da emergência.

Não deixe de fazer o acompanhamento do trauma dental com o dentista até pelo menos um ano depois do acidente.

Gostaram deste conteúdo? Não deixe de acompanhar as novidades no Blog do CCAA Divinópolis, toda semana um conteúdo diferente. E para saberem mais sobre o meu trabalho visitem meu perfil no Instagram @karlaluisa.odontopediatria

Graduada em Odontologia pela Universidade de Itaúna.
Especialista em odontopediatria.
Aperfeiçoamento em ortodontia preventiva.
Aperfeiçoamento em odontologia neonatal.
Exercendo uma odontologia humanizada.

Artigos relacionados

International Food CCAA 2019
12/06/2019| CCAA Divinópolis

Comentários